Expositores projetam bom volume de vendas na feira 40 Graus

Sediada em um dos principais mercados consumidores do Brasil, a 40 Graus - Feira de Calçados e Acessórios chega cercada de expectativas. Para as indústrias, o evento é a oportunidade de levar às regiões Norte e Nordeste do país o que de melhor a produção nacional de calçados desenvolveu pensando especificamente nesses estados. O potencial de consumo do varejo local empolga os expositores, que projetam um volume de vendas acima do registrado no ano passado.

A possibilidade de estreitar laços com clientes já consolidados, e de conhecer novos lojistas, anima a coordenadora de Marketing da Fasolo, Paula Ferri. “Esperamos que a feira gere bons resultados, caso ultrapassemos o nosso objetivo previsto, que é sempre vendas, será ainda melhor. Na feira, buscamos fazer contatos com clientes antigos e conhecer clientes novos”, afirma a coordenadora. Para a diretora de Mercado da Merkator Feiras e Eventos, promotora da 40 Graus, Roberta Pletsch, a possibilidade de aproximação com o varejo da região é um dos pontos fortes da feira. “Temos trabalhado para gerar esse relacionamento próximo com o lojista desses estados e garantir a presença sempre maior destes profissionais em nossa feira”, reforça.

Ainda que consolidar relacionamentos para futuras venda seja importante, a indústria busca também fechar negócios já durante o evento. “Nossas expectativas são as melhores possíveis, já que estamos começando o ano. Estamos indo para a 40 Graus pela primeira vez, mas o nosso mercado do Norte e Nordeste é forte, então vamos ao encontro de nossos clientes. Buscamos vender sandálias e rasteiras, já que o principal produto é o da moda verão”, explica Antônio Romanini, sócio da marca Tchocco.

Outro ponto forte da 40 Graus é a preparação que os expositores fazem para a feira. As indústrias têm apostado em coleções especiais para a região, e o evento funciona também como plataforma de lançamento das coleções. “Queremos vender, mostrar a coleção e divulgar para os principais clientes. Buscamos apresentar os novos produtos que têm como diferencial o design, seguindo tendências antenadas. Na feira, teremos produtos da coleção verão e inverno 2016, focando um pouco em cada estação”, destaca o analista de Marketing da marca Klassipé, Paulo Roberto do Nascimento Souza.

Mesmo otimista, o mercado entende o momento econômico, mas acredita que é possível superar as dificuldades. “Esperamos que aconteçam muitas vendas. O pessoal ainda está um pouco retraído, mas acreditamos que, passando o carnaval, as vendas irão crescer, por isso estamos otimistas. Queremos continuar o trabalho que estamos fazendo no Nordeste. Se tivermos novos clientes, ótimo, mas buscamos mesmo firmar parcerias com os antigos. O mercado do Nordeste é muito próspero e já está consumindo mais que o Sudeste e Sul”, ressalta Ricardo Rocha, Desenvolvimento e Comercial da marca Via Júpiter.

O otimismo é explicado também pelo crescimento constante da feira, que chega à sua quarta edição. “A feira passada foi boa, nesta ocasião esperamos vender bastante e aguardamos ansiosos pelos resultados positivos que virão. Na feira, a empresa apresentará a coleção de inverno”, salienta a assistente de vendas da marca VVT, Sandra Guess. A consolidação da feira também é destacada pelo Merkator Feiras e Eventos, Frederico Pletsch. “O momento da feira, que cresce a cada ano, justifica as projeções otimistas, mesmo com o atual cenário econômico. Acredito que teremos uma ótima feira”, afirma.